i-congresso0nacional-ibf

 

Uma grande alegria e um enorme sucesso! Contou com uma significativa participação de integrantes de todos os Centros de Orientação Familiar das cidades brasileiras onde o IBF hoje está presente.

“Agradecemos a todos que participaram e que fizeram possível a realização desse maravilhoso encontro!”

IBF – Diretoria Central

Conclusões do “I Congresso Nacional IBF de Orientação Familiar”

I-Congresso-Nacional-IBF-de-Orientação-Familiar-2-chamada.min_

 

Este I Congresso Nacional IBF de Orientação Familiar, sob o lema “Famílias Formando Famílias”, organizado pelo IBF – Instituto Brasileiro da Família nos dias 16 e 17 de maio de 2015, no auditório do IICS – Instituto Internacional de Ciências Sociais, em São Paulo, contou com a participação de 120 pessoas, entre diretores dos centros de orientação familiar, moderadores, casais chefes de equipe e pessoas afins, provenientes de 15 cidades brasileiras – Belo Horizonte e Itabirito, Brasília, Campinas, Curitiba, Londrina, Arapongas, Maringá e Rolandia, Porto Alegre, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e Niterói, São José dos Campos e São Paulo. Durante os dois dias do Congresso, os temas abordados estiveram voltados principalmente para a discussão da vivência da metodologia no Sistema F e das experiências dos Centros de Orientação Familiar no desenvolvimento dos trabalhos em Orientação Familiar nas suas cidades, pelo que, mais do que um evento, tratou-se de um encontro que despertou um grande entusiasmo e determinação a um maior envolvimento.

Das discussões dos temas das mesas redondas, palestras e troca de idéias entre os participantes, foi possível apontar como principais conclusões:

  • A importância da conscientização e capacitação das famílias, para que descubram o seu papel de primeira e principal formadora de pessoas e como célula básica e fundamental da sociedade. Uma sociedade melhor e mais justa é resultado da atuação de famílias mais fortes e íntegras.
  • A tutoria tem papel ativo e decisivo na formação e crescimento dos moderadores. Isso implica uma atitude aberta, organizada, voltada para o estudo e aprofundamento, humilde e dócil por parte do moderador, e uma atitude paciente, exigente, estimulante e acolhedora por parte do tutor.
  • O sucesso de um COF – curso de orientação familiar – está no cuidado de todos os aspectos que direta e indiretamente dele fazem parte. Promoção contínua, organização do calendário de cursos no final do ano para o ano seguinte, reunião de promoção trabalhada com antecedência, seleção de casais que podem vir a integrar a equipe da OF. Alem disso, a organização cuidada e do serviço de monitoria para as crianças. Grupos de estudo dos temas dos casos, como mais uma ferramenta de formação e integração dos moderadores e casais chefes de equipe. Não menos importante e fundamental é o constante trabalho de integração entre os membros da equipe do CeOF, também através da organização de encontros descontraídos entre os casais e as famílias.
  • O trabalho em equipe é de importância capital para o desenvolvimento e o crescimento de qualquer empreendimento. É preciso crescer em unidade, simplicidade no relacionamento e tirando proveito da diversidade de temperamentos, habilidades e vivências dos membros da equipe.
  • O casal chefe de equipe é a alma e o coração dos cursos de orientação familiar. Para que o sejam efetivamente, em primeiríssimo lugar devem se empenhar pessoalmente para entender e viver a metodologia, colocando em foco a melhoria e o crescimento do seu próprio relacionamento conjugal e familiar. Um casal feliz ajuda a outros a descobrirem a felicidade. Um bom casal chefe de equipe é amigo sincero que através dessa amizade é “garimpeiro” procurando tirar o melhor de cada um dos participantes. E como essa função também exige dedicação, estudo, organização etc, poderíamos assemelhar a sua atuação ao processo de coaching e chegar a arriscar dizer que o casal do chefe de equipe é um “coach amigo”.
  • A orientação familiar é importante apoio aos colégios na formação dos pais. Através dos cursos prepara e capacita os pais em harmonia com o colégio, para que descubram e atuem como protagonistas na educação dos seus filhos, sendo assim reforçada e potencializada a eficácia da parceria pais x colégios. Fica então o desafio e a proposta para a OF no Brasil de estudar como melhor atender aos colégios no que se refere à formação de pais e professores.

São Paulo, 22 de maio de 2015. IBF – Diretoria Central